Qual a cor do teu nome?

Maria é amarelo, Frederico é verde e Luísa é azul. Não, não foi porque escolhi pintar as letras com qualquer programa, é porque é assim que vejo os nomes das pessoas, os meses do ano e os dias da semana, A CORES! Para quem lê isto pela primeira vez (se há alguém a ler :) pode parecer estranho, mas para mim também foi, ao descobrir por acaso, que nem toda a gente vê/sente desta forma, e que a isso se dava o nome de SINESTESIA.
Achava que toda a gente atribuía, involuntariamente, uma cor aos nomes, aos meses e aos dias da semana, a funcionar como mnemónica, e por isso nunca tinha comentado com ninguém, achava eu que era normalíssimo! Qual foi o meu espanto, já aos meus vinte e tal anos, quando num documentário na RTP2 se falava de pessoas que viam/sentiam como eu. Fiquei boquiaberta, então isso não era normal? Isso tem um nome? Eu sou sinestésica? Holy shit, isto é giro!
A cor que atribuo a um nome é a minha perceção, o mesmo nome pode ter outra cor para outro sinestésico. A memória mais remota que tenho é do tempo da escola primária e pensar “lá vem a encarnada” já sabia que era a Glória.
A sinestesia está relacionada com uma fusão dos sentidos. No meu caso  audição/visão. Oiço nomes e vejo cores. Estão identificados outros tipos de sinestesia como sons/música que evocam imagens, tacto que evoca sabor… mas a mais comum é a de letras e números que evocam cores.
Sabia que o Wassily Kandinsky era sinestésico? Ah pois era…
Escolhi um vídeo que explica de forma criativa o que é a sinestesia (tem legendas em português)



Comentários

Mensagens populares deste blogue

Escapadela especial

Uma Arca cheia de surpresas

Soube pela vida