As pontes

Embora distantes em termos espaciais, estamos sempre próximos.

Unidos pelas pontes que atravessam os rios dos dias passados.

A ponte que liga as duas margens.

A ponte do afeto.

A ponte da cumplicidade.

Por mais que o rio se estenda,

se torne turbulento ou venha a secar,

sei que surge uma ponte que não nos deixa apartar.

Dedicado ao meu pai e escrito em 29 jun 2016.

Comentários

Mensagens populares deste blogue

Soube pela vida

Uma Arca cheia de surpresas

Escapadela especial